Setembro Amarelo é o mês de prevenção ao suicídio! Mas, o que isso tem a ver com o promotor de missões?

Infelizmente a depressão tem sido muito comum e precisamos falar sobre isso! Eu já tive a experiência de cuidar de um promotor de missões que teve uma crise depressiva agravada por decepções e falta de apoio em seu ministério, tendo até pensamentos suicidas. Tudo isso é muito assustador, mas precisamos pensar nisto!

Não somos missionários frustrados. Deus nos chamou para mobilizar e somos vocacionados! Você pode ler mais sobre isso nos posts
http://missoesnacionais.org.br/blog/category/promotores-sao-vocacionados/

Porém, nem sempre nosso ministério é um mar de rosas! Muitos promotores têm sofrido e estão em completa desesperança!

Certa vez, nosso irmão em Cristo, Deltan Dallagnol, falou sobre a desesperança por conta da corrupção, contando uma experiência da década de 70, e pensei o quanto isso também é uma verdade na mobilização.

O professor e psicólogo americano Martin Seligman apresentou uma teoria baseada nos estudos realizados na década de 70 (deixando de lado as críticas sobre as experiências com animais, o estudo ajudou muito nas conclusões sobre o comportamento humano).

O estudo foi dividido em duas fases, com duas condições experimentais diferentes e em diferentes grupos de cães. Na primeira fase, os cães do primeiro grupo, ficaram em um compartimento onde foram administrados choques elétricos nos pés traseiros. Eles poderiam parar o choque encostando o focinho em um painel, o que rapidamente aprenderam. Os cães do segundo grupo, que ficaram em outro compartimento, não tiveram chance de parar o choque.

Na segunda fase do experimento, os cães dos dois grupos podiam escapar da situação indo até um compartimento anexo onde eles conseguiriam se livrar dos choques elétricos. Nesta fase, foram observados resultados significativos: o primeiro grupo de cães aprendeu na primeira fase uma forma de parar os choques, por isso, facilmente escaparam da dor fugindo para o novo compartimento. O segundo grupo, ao tomar choques elétricos simplesmente se deitavam, e não saiam do lugar, mesmo podendo escapar. Eles haviam aprendido na primeira fase que não poderiam controlar a situação. Havia sido gerado neles um sentimento de impotência ou desamparo.

É assim que a desesperança faz! Quando passamos por experiências ruins corremos o risco de entrar em desesperança e simplesmente nos paralisar como aqueles cachorros! A desesperança faz com que nos sintamos incapazes e impotentes. Ela nos mortifica ainda vivos e tira nossa sensibilidade pela nossa dor e dor do outro. Também nos anestesia e tira nossa capacidade de enxergar as oportunidades do presente, nos tornando incapazes de mudar a realidade, mesmo que isso seja possível, sonhando, ousando e perseverando. Muitos promotores talvez estejam sem esperança e pensando: “Você não conhece minha igreja! Estou cansado de tanto levar choques elétricos!” A desesperança nos tira a capacidade de ver a grandeza do Deus a quem servimos.

Não deixemos que a desesperança nos domine! Deus nos deu poder de influência e precisamos tomar muito cuidado para não contagiar nossos irmãos com a desesperança! Precisamos viver a alegria do Senhor e transbordar o Seu amor. Não permita que a desesperança o transforme em um promotor sem brilho nos olhos! Deus quer lhe usar!

Sempre me lembro daquela conhecida ilustração do menino de apenas dez anos de idade que viajava sozinho de avião, sempre se divertindo tranquilamente. No meio da viagem o comandante anunciou uma forte turbulência. Outras crianças que estavam no voo, choravam ansiosas e com medo. Todos ficaram apreensivos, mas aquele garotinho continuava na maior serenidade, sem esboçar qualquer reação de medo ou desespero. Quando a turbulência passou, uma das passageiras, não aguentou a curiosidade, chegou perto do menino e perguntou: “Você está sozinho? Nem mesmo quando o avião entrou em turbulência você ficou nervoso! Você não tem medo do avião cair?” O menino olhou para a moça, deu um sorriso e disse: “Por que eu teria medo? O meu pai é o comandante!”

Infelizmente, nem sempre é fácil o nosso trabalho, mas precisamos ter plena consciência que nosso Pai é o comandante! Foi Ele quem nos chamou e somos apenas instrumentos em suas mãos. Deus é o maior interessado em despertar seu povo para a urgência da obra missionária. Saiba, Deus está mais triste do que você por ver igrejas voltadas para si mesmas! Mantenha os olhos fitos em Jesus (Hb 12.2) e tenha serenidade, sabendo que Ele está no controle e não temos o que temer!

O amor é a base da vida cristã. Mesmo que tenhamos razão, se perdemos a compaixão, perdemos a razão. Este foi o problema do irmão mais velho na parábola do filho pródigo, pois, em suas razões ele perdeu a compaixão e com isso, perdeu a razão! Precisamos tomar muito cuidado quando, como promotores, sabemos que temos razão, entendemos a missão da igreja, a urgência da obra missionária, mas a liderança da igreja não nos acompanha e muitas vezes ainda nos critica. Sempre que encontro promotores tristes e cansados de lutar para mudar a visão de sua igreja, digo apenas: “Vá para o Lugar Secreto e fale com o comandante!” Deus está no comando! Quando a desesperança começar a tomar conta do seu coração, corra para o Lugar Secreto e lá, lembre-se: “Nosso Pai é o comandante!”

Leia o Post “Continua, filho! Continua!”
http://missoesnacionais.org.br/blog/continua-filho-continua/

Deus abençoe seu ministério!

Silvana S. P. Martines

Compartilhe nas redes sociais:
Setembro Amarelo e o Promotor de Missões! Como assim?

2 ideias sobre “Setembro Amarelo e o Promotor de Missões! Como assim?

  • 24/09/2019 em 22:50
    Permalink

    Essas palavras tem sido edificante para minha vida. Que Deus continue nos dando sabedoria para lidar com as frustrações.

    Resposta
    • 25/09/2019 em 11:00
      Permalink

      Deus te abençoe Flavinha! Bjos

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *