Cuidar de promotores é amar promotores. É relacionar-se com eles. É ouvi-los. É orar por eles.

Quando os ouvimos, em amor, percebemos que boa parte de suas queixas referem-se a conflitos. Nesse post, comento sobre atitudes que ajudam a resolver conflitos.

  1. Esclareça as razões da oposição: A oposição, o conflito, é por questões pessoais? Há algum comportamento meu (promotor) que provoque o conflito? A solução precisar começar por nós (Mateus 7.1-5). O conflito é com o ministério, com o projeto (campanha, por exemplo)? Se sim, explique melhor ao opositor o projeto ou ministério, em particular ou com testemunhas; mas no final decida a quem você quer agradar: a Deus, ou a pessoas. Conflitos, até certo ponto, são normais e sempre farão parte do convívio em grupos, como é uma igreja. É conflito mesmo, ou são apenas expectativas que não foram atingidas? É conflito mesmo ou são apenas opiniões sendo expressadas? Algumas pessoas se dedicam tanto a um projeto, que qualquer discordância é vista como crítica, mas nem tudo é negativo. Às vezes, uma palavra de discordância é na verdade um grande ajuda.
  2. Busque a paz. Concentre-se no que precisa ser feito para que a vontade de Deus aconteça. Nem sempre é possível a solução completa, mas sempre é possível melhorar o relacionamento e diminuir o conflito entre as pessoas.
  3. A força do ‘bem’. Em Romanos 12.21 a Palavra nos orienta a vencer o mal com o bem. Não podemos encarar as pessoas com quem temos conflito como ‘mal’, mas o princípio é o mesmo: o bem é uma ‘arma’ de ataque, não apenas uma ‘arma’ de defesa. O ‘bem’ quer dizer que vamos amar as pessoas acima das nossas diferenças, que vamos orar sinceramente uns pelos outros.

Em amor, vamos ajudar promotores a verem conflitos como ‘normais’, e a resolvê-los como cristãos que somos.

Milton Monte

Compartilhe nas redes sociais:
Ajudando promotores a lidar com conflitos!
Classificado como:        

Uma ideia sobre “Ajudando promotores a lidar com conflitos!

  • 29/07/2020 em 21:42
    Permalink

    Acatei este conselho pra mim mesma. Assim, aprendendo e praticando terei experiência para compartilhar

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *