“Vendo as multidões, compadeceu-se delas…”. Qual a sua motivação?

A motivação é muito importante, no cristianismo, tanto que podemos cometer pecado, mesmo fazendo a coisa certa, mas com a motivação errada (1Coríntios 13).

Qual deve ser a nossa motivação para realizar uma campanha missionária, então? Alcançar um alvo, é uma motivação, mas não a melhor. Alegrar-se com a comunhão de uma Feira Missionária pode ser salutar, mas também não é a melhor motivação.

Por que nos empenhamos tanto em uma Campanha?

Porque temos em nós os mesmos sentimentos de Jesus.

Em Mateus 9 encontramos narrativas de que Ele percorria todos os lugares, tanto os grandes centros como as pequenas vilas (9.35), e via as multidões e suas necessidades. É possível que estejamos diante de uma situação e não a vemos (percebemos); é possível que vejamos, mas não nos incomodamos, não nos sensibilizamos. Talvez pior, é possível que nos sensibilizemos com uma situação… e nada fazemos!

Jesus via as multidões, percebia suas necessidades e agia. A motivação era a compaixão, que é a virtude de compartilhar do sofrimento do outro, mesmo que não aprovemos seus comportamentos, independentemente de serem pessoas que consideremos boas ou não. Ter compaixão é não permanecer indiferente diante da necessidade do outro.

Qual é a maior necessidade do ser humano? Conhecer Jesus como seu Senhor e seu Salvador. E como isso se dará? Cada um, discípulo de Jesus, dando frutos onde está (João 15.8) e também enviando discípulos para se multiplicarem em outros lugares (Atos 13.1,2).

Além da compaixão, há outro sentimento motivador: a gratidão. Gratidão porque isso foi feito a nós, no passado. Missionários vieram, e com o preço de suas vidas, em alguns casos, nos anunciaram Jesus.

Compaixão e gratidão são sentimentos que são experimentados, em sua plenitude, somente pelos cristãos, porque temos em Jesus o exemplo pleno dessas virtudes.

Esses devem ser, então, os sentimentos que nos motivam a fazer uma campanha cada vez melhor que a anterior, até que todos, no Brasil e no mundo, conheçam Jesus Cristo, a única esperança.

Pr. Milton Monte
Gerente Executivo de Comunicação e Mobilização

Related Posts