Notícias



Ex-Bruxa da Cracolândia formou-se em Missões

Enquanto vivia nas ruas de São Paulo, ela era conhecida como a Bruxa da Cracolândia. Silvia Regina Ferreira se envolveu ainda criança com o tráfico e passou 25 anos da sua vida na prisão. Ao sair, sem rumo nem amparo, recorreu à fabricação de crack para ganhar dinheiro e tornou-se viciada. Lá se foram mais 14 anos no mundo das drogas. Vivendo na cracolândia e pesando cerca de 40 kg, ela buscava socorro, mesmo que fosse na morte.

Certo dia, a missionária Fernanda Toyonaga, que com apenas 18 anos já era Radical na Cristolândia, percebeu Silvia de longe, na região em que fica a Missão. Silvia lembra emocionada da abordagem. “Ela chegou, me deu um abraço e disse que Jesus me amava”, disse Silvia.

Com o apoio da Cristolândia, Silvia foi transformada pelo trabalho realizado pelas igrejas batistas no Brasil. Foi lá que ela conheceu a palavra de Deus, conseguiu ajuda para reencontrar a família e apoio para estudar.

Hoje, resgatada e regenerada por Cristo, ela tem compartilhado sua experiência através do serviço de capelania nos presídios femininos e, ainda, serve de inspiração para homens e mulheres que estão nas unidades da Cristolândia pelo Brasil.

Essa história foi amplamente divulgada em 2017, quando foi tema de uma reportagem especial no Programa Fantástico na Rede Globo e, no último sábado de novembro (28) de 2020, foi o momento de celebrar mais um capítulo na vida de Silvia.

Com 63 anos hoje, Silvia Regina, que atua como missionária em formação, colou grau na Graduação de Ensino Superior em Missões pelo Centro Integrado de Educação e Missões (CIEM), localizado no Rio de Janeiro. Ela compartilhou essa emoção com seus colegas de classe; corpo docente da instituição; Pr. Fernando Brandão, diretor executivo de Missões Nacionais, e ainda milhares de pessoas que acompanharam a transmissão ao vivo nas redes sociais.

“Obrigada a você, que investiu em mim e investe em mais pessoas como eu. Estou muito feliz. Jesus está aqui comigo; na hora que Ele entrou no meu coração, tudo mudou, até um diploma eu ganhei”, disse Silvia, em entrevista ao diretor executivo de Missões Nacionais após a celebração.

Durante a cerimônia, a emoção também falou mais alto, quando Silvia foi mencionada pela diretora do CIEM, Marli de Fátima Pereira da Silva González, como um exemplo de que só Jesus realmente transforma.

As lágrimas de Silvia também rolaram quando, durante a formatura, foi citado sobre episódio de um ano atrás que impossibilitou que ela se formasse no fim do ano de 2019. Silvia sofreu um AVC (Acidente Vascular Cerebral), bem no início do seu último período do culto, o que atrasou sua formatura em um ano. Mas nem isso a desanimou e ela concluiu sua graduação com ótimas notas.

Silvia agora se prepara para escrever mais um capítulo de sua história, que tem como autor Deus, aquele que é capaz de tudo. Louvado seja Deus!