PAM: Os privilegiados somos nós

Jesus Cristo é a única esperança – uma frase que parece ecoar nos quatro cantos da terra. Será que ela faz algum sentido para você? Acredito que sim! Em meio ao choro, fome e tantas mortes faz, sim, sentido, nem que seja necessário silenciar o coração para ouvir a voz de Deus. Mas, como aqueles que estão à sua volta, sem conhecer Jesus, poderão silenciar o coração, se existe um grito de desespero por toda parte, uma tempestade que parece não ter fim? Sabe, promotor, eu e você temos a resposta. Primeiro, gostaria de lembrá–lo de que, assim como uma orquestra tem um regente que conduz a execução da melodia, Deus é o regente da nossa vida e está conduzindo essa tempestade. As pessoas precisam saber disso. Só assim, a frase “Jesus Cristo é a única esperança” fará sentido para aqueles que estão ao nosso redor.

Você, promotor, e eu somos chamados para uma missão mais do que especial: seguir o exemplo de Jesus. Ele se ocupava com as pessoas, investia tempo com gente, gastava tempo investindo nelas. Deus esteve aqui na terra deixando sua marca de amor na vida das pessoas com um toque, com olhar de amor. Pelo simples som da sua voz o cego saiu da escuridão para a luz, os desanimados encontravam a verdadeira alegria, os desprezados eram abraçados, os famintos encontravam sustento e todos recebiam a novidade: é chegado o Reino de Deus!

É exatamente essa mensagem que precisamos comunicar para todos. Aqui, ali, lá e acolá. Assim como Jesus foi enviado ao mundo, Ele também nos enviou para ser luz, para libertar, para alimentar, para salvar. Não é só um alimento. Jesus é o ALIMENTO que salva. Há urgência em anunciar essas verdades. O mundo clama por socorro!

Promotor, quero lhe fazer algumas perguntas: a missão dada por Deus para você é mais importante do que qualquer outra coisa? Promover missões traz alegria ao seu coração? O que você está fazendo com aquilo que Deus lhe deu? Você tem investido financeiramente na obra missionária através do PAM? Qual é a sua motivação, quando pensa sobre o trabalho no campo missionário?

Precisamos entender que vale a pena servir a Deus e ao próximo com a nossa vida e com os nossos bens. Ser parceiro da obra missionária através do PAM é um grande privilégio e resulta no avanço, no envio de trabalhadores aos campos mais distantes e no investimento em vidas.

Querido promotor, não podemos esquecer de que quando nos comprometemos a viver uma vida sob a orientação de Deus passamos a ser agentes inspiradores no meio onde vivemos. Lembre–se: “A palavra convence, mas o exemplo arrasta”. Seja um parceiro do PAM! Quando todos compartilham do mesmo sonho de participar da missão de Deus no mundo, o convite para essa obra é mais facilmente aceito.

Deus usa pessoas para encorajar outras pessoas. Você topa ajudar? “Se Deus é por nós, quem será contra nós? (Romanos 8.31).

Edna Paz
Missionária Mobilizadora em São Paulo

Related Posts