Como envolver a igreja no levantamento da oferta?

Louvo a Deus pela vida de nossos Promotores de Missões. Aqui, na QIB em Cardoso Moreira, minha amada esposa, a pouca sombra Vanessa, e meu Secretário Executivo, Júlio, são os Promotores de Missões. Eles amam missões e têm carta branca para desenvolverem o trabalho de Missões Mundiais (março a junho) e Missões Nacionais (setembro a dezembro).

No decorrer da Campanha temos momento missionário no culto de quinta-feira e nos cultos de domingo, manhã e noite. Procuramos entrar em contato com a Junta de Missões para que, durante a Campanha, ela nos envie, pelo menos uma vez por mês, um missionário, para que possamos saber do que tem acontecido no campo de missões. Cantamos o hino de Missões em todos os cultos, nesse período. Simultaneamente à Campanha de Missões, costumamos realizar um programa de 30 ou 40 dias de oração e, durante a Campanha, temos cultos no templo e nos lares todos os dias, quando falamos de missões e oramos pela nossa Junta de Missões e pelos missionários.

Nesse tempo, o de Campanha, fazemos peças, encenações, coreografias, almoços e leilão com o objetivo de envolvermos e conscientizarmos todos da necessidade de ofertarem para a obra missionária. Lembre-se de que a conscientização precede o amor. É papel do pastor e do Promotor de Missões conscientizar a igreja para que ela ame missões e se envolva com o trabalho missionário.

Como motivar a igreja a multiplicar os alvos pessoais?

Peça a Deus para que Ele motive em primeiro lugar o seu coração e, depois, o coração do pastor. A oferta mais desafiadora e inspiradora de uma igreja precisa partir do pastor. A igreja precisa ver e saber que seu pastor ama missões a ponto de, generosamente, contribuir para essa obra, e você, querido promotor, não pode ficar de fora. Você, depois do pastor, deve ser exemplo de generosidade na hora de ofertar.

Aprendi a pensar assim quando cheguei na QIB. Deus usou uma Promotora de Missões de nossa Igreja para incendiar meu coração. Passei a entender que o primeiro a estar motivado a contribuir com missões deve ser o pastor. A cada ano faço o desafio de aumentar meu alvo pessoal. Em alguns anos que não chegamos ao alvo proposto, assumi o desafio de contribuir além de minha oferta. Já cheguei a contribuir com mais de 3 meses de salário e Deus nunca deixou de nos abençoar. Abri mão de alguns sonhos pessoais, mas me sinto feliz por fazer parte da Obra de Deus. Continuo sendo pobre, mas um pobre feliz demais por fazer a vontade de Deus.

Querido pastor, já escorreguei na calçada que talvez você tem escorregado. Deixe de ser avarento, de pensar só no seu salário, no seu umbigo, na sua igreja. Você e sua igreja não são o Reino, o Reino é muito maior do que você e eu.

Querido promotor, a igreja não vai além de seu pastor! Um pastor desmotivado com seu alvo pessoal desmotiva a igreja. Não persiga seu pastor, não fale mal

dele se, porventura, ele não é generoso com suas ofertas, mas ORE muito por ele, porque para motivar a igreja, Deus usa o pastor. Não fique sem esperança, Deus usou uma promotora para acender essa chama em meu coração; se houve jeito para mim, haverá jeito também para o seu pastor. Coloque-se nas mãos de Deus, seja cheio do Espírito e peça a Deus poder para motivar seu pastor e igreja.

Como motivar os grupos a multiplicar seus alvos?

Aqui ainda fazemos alvos pelas classes, incentivando cada aluno da EBD a melhorar o seu alvo pessoal, a cada ano.

Em toda campanha faço visitas aos membros da QIB, visto sermos uma igreja pequena (180 membros). Levo sempre uma mensagem missionária escrita ou uma história missionária, converso com meus irmãos e, depois, oro com eles. Tem sido uma experiência maravilhosa. Sinto que isso ajuda a manter a chama acessa no coração de nossos irmãos.

Gostamos também de motivar os grupos, contando as histórias de generosidade deles. Uma ovelha de 8 anos, certa ocasião, me pediu permissão para vender mil sacolés na Igreja, pois ela tinha feito um alvo de R$ 500,00. A menina vendeu mais de mil sacolés a R$ 0,50 e levantou uma oferta de mais de R$ 700,00. Usamos histórias como essa, acontecida em nosso meio, e contamos com o objetivo de sacudir, impactar nossos irmãos.

Ofertas e dízimos: um interfere no outro?

Tenho que rir diante de uma pergunta dessa. É muito triste vermos igrejas avarentas que pensam em si, em seus monumentos e se esquecem da obra missionária. A entrada de nossa igreja é de R$ 28.000,00. Ano passado levantamos mais de R$ 52.000,00 para Missões Mundiais e mais de R$ 64.000,00 para Missões Nacionais. Estamos construindo um templo para mais de 700 pessoas sentadas, sem fazer campanha alguma para construção, pois Deus não nos mandou fazer templos, mandou fazer discípulos. O templo tem sido construído com o que sobra. A prioridade da igreja é missões!

Uma igreja fiel contribui com seus dízimos e com ofertas missionárias. A Igreja que pastoreio é formada por pessoas pobres, mas cheiss de bondade e generosidade, irmãos que entendem que ofertar é um ato espiritual.

Procuramos conscientizar nossos irmãos o ano todo, sempre lembrando que antes mesmo das campanhas missionárias efetivas, eles devem se preparar, juntando, economizando, evitando dívidas que possam atrapalhar a contribuição deles. O povo precisa entender o propósito do nosso salário: usá-lo para a glória de Deus!

Pr. Jonazelton Silva

Quarta Igreja Batista de Cardoso Moreira (RJ)


Warning: preg_match(): Compilation failed: invalid range in character class at offset 12 in /home/missoesnacionais/www/campanha2020/wp-content/plugins/js_composer/include/classes/shortcodes/vc-basic-grid.php on line 184
  • Tudo
  • Revista do Pastor
  • Revista do Promotor
  • Revista Gratidão
  • Revista Líder de PGM

Multiplicando o amor que recebi do Pai!

“Nós amamos porque Ele nos amou primeiro.” 1 João 4.19 Quando nos reportamos ao início da Igreja de Cristo na terra, nos lembramos que ela nasce sobre o firme e sólido mandamento de “sermos testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria, e até aos confins da terra” (Atos 1.8). Creio que...

Por que fazer campanhas missionárias?

“Pois dou testemunho de que eles deram tudo quanto podiam, e até além do que podiam. Por iniciativa própria eles nos suplicaram insistentemente o privilégio de participar da assistência aos santos.” 2 Coríntios 8.3,4 A campanha (assistência aos santos) referida em 2 Coríntios tinha o objetivo de ajudar os crentes da Judeia em um período...

Como envolver os PGMs em missões?

“Se os pequenos grupos não têm uma proposta para missões, então não servem para a nossa igreja” - Pr. Gilson Breder, em 1999, ao discutir a implantação de PGMs na PIB Campo Grande (MS). Baseado em Mateus 28.18-20, missões é fazer discípulos, que é a razão de um Pequeno Grupo Multiplicador. A ordem é multiplicar...

A ética de fazer a Campanha e não enviar a oferta

Sendo este um tema delicado, rogo a Deus que me conceda a Sua graça para abordá-lo, de modo a alcançar o coração de cada pastor e líder responsável por administrar os recursos levantados pela igreja, para a obra missionária. A obra missionária é o instrumento de Deus para ganharmos o Brasil e o mundo para...

Missões como expressão da igreja local

Porque Ele nos amou primeiro, amamos aqueles que precisam ser amados por nós. A Igreja Batista do Calvário, da qual sou pastor, tem um grande amor por missões. Em primeiro lugar, a igreja reconhece que Deus nos amou primeiro: “Nós amamos porque ele nos amou primeiro” 1 João 4.19. Esse amor nos impulsiona a amar...

Algo é meu para que doe?

Certa vez eu pedi a Deus em oração uma coisa simples: um período de lazer para que eu pudesse caminhar. Fiquei muito feliz porque o Senhor me atendeu e me senti extremamente abençoada. Enquanto caminhava, comecei a perceber a presença de pessoas que precisavam ouvir do amor de Deus, que, na verdade, eram as mesmas...

Missão de quem?

A divisa da Campanha de Missões Nacionais deste ano, retirada de 1 João 4.19, bem que poderia ser parafraseada em linguagem missiológica: “Nós vamos porque Ele veio primeiro”. Com razão, se fazemos missões hoje, é porque, muito antes de nós, Jesus fez missões ao vir nos salvar. A missão não começa em nós, mas em Deus, que é quem está em missão. Essa verdade é o que os teólogos...

Estratégias para avançar e multiplicar

Fazer missões é algo apaixonante! Não existe nada melhor que possamos fazer por alguém do que apresentar Jesus. Quando fazemos missões, estamos fazendo exatamente isso. Seja no campo, seja através da oração ou da contribuição. Mas nós que temos a responsabilidade de mobilizar as igrejas, também temos grandes desafios e acredito que o maior deles...

Momento missionário sem missionário

O momento missionário é a principal oportunidade para que o promotor informe a igreja acerca do campo missionário. Nesse momento, todo promotor deseja a presença de um missionário para impactar as pessoas e, talvez, influenciar no alcance do alvo de ofertas. Mas, será mesmo imprescindível que um missionário esteja presente nesse momento? Certamente que não!...

Como agir quando o promotor não tem o apoio do pastor

Um dos textos bíblicos de que mais gosto é 2 Coríntios 5.2, onde lemos que somos “Embaixadores do Reino de Deus”. Isso significa que temos a responsabilidade de representar o nosso Rei aqui na Terra. Que responsabilidade! Que honra! E a nossa missão é pregar a mensagem de reconciliação. Uma missão que começou no coração...

Related Posts