Como vimos no Post anterior, muitas vezes temos dificuldade em acreditar no potencial das pessoas. Naturalmente tomamos a frente das coisas, especialmente quando temos mais experiência no assunto.

Quando olhamos para o movimento de mobilização voluntária que Deus está fazendo, observamos o quanto Ele tem levantado pessoas das mais diversas personalidades, temperamentos, posições sociais, escolaridade e regiões. Quem está no controle de tudo isto é o Senhor e não nós!

Nossa imagem de um líder ideal nem sempre está correta. Deus chama e usa quem quer. Todos temos limitações e mesmo assim, Deus tem nos usado como promotores e MMVs. Da mesma forma, Ele também tem chamado e continuará chamando outros promotores por todo Brasil. Avaliar se as pessoas têm ou não capacidade não é nossa função.

Por isso, não podemos ter medo de errar! Se Deus está levantando pessoas para a mobilização em sua associação, invista, treine, capacite, ande junto, transmita a visão, contagie com o “Bichinho Missionário”, forme líderes, acredite no potencial das pessoas, pois se Deus as chamou, Ele mesmo as capacitará, mesmo com todas suas limitações, como tem feito conosco.

Alguns se despontarão em pouco tempo, outros você terá que andar junto mais tempo, mas invista nas pessoas! Lembre-se, somos como técnicos de futebol!

Como vimos no Post anterior, o Pr. Ralison tem sido um grande formador de líderes no sertão. Ele não tem medo de errar! Outra dica muito importante que ele nos dá é: “Aproveite o brilho nos olhos, a paixão, o desejo de trabalhar! Não perca esse ânimo!”

Se você tem encontrado promotores ou vocacionados com paixão missionária, desejo de trabalhar e com brilhos nos olhos, invista, acredite, treine e… solte… envie esses líderes para o trabalho!

Muitas vezes os líderes são os culpados pelo desânimo das pessoas, pois não sabem aproveitar as oportunidades. Encontram tantos obstáculos que até os mais animados, perdem a paixão!

Aproveite cada oportunidade! Se uma pessoa lhe procurar querendo promover missões em uma igreja de sua associação, invista nela! Dê o passo a passo de como começar, ore junto, treine, cuide, envisione e acredite que ali está um grande líder! Seja sempre muito objetivo e claro. Se tiver dúvidas sobre qualquer assunto, procure seu MAE ou a liderança nacional (caso não tenha MAE em sua região), procure aqui no Blog, mas jamais deixe que essa oportunidade de treinar alguém com brilho nos olhos, se perca!

Todos que treinarmos serão grandes líderes? Provavelmente não!

O bom líder não tem medo de errar, mas ele sabe que, certamente, uma hora vai se decepcionar, e quando isso acontecer, ele não perde a motivação e o ânimo.

Errar faz parte da formação de líderes! Nem todos que investirmos e acreditarmos, serão grandes líderes. Isso é natural! Mas, é acreditando e investindo nas pessoas que surgem os grandes líderes!

Certa vez ouvi em uma palestra sobre liderança algo que nunca me esqueci! Um líder disse que morava em um sobrado. Em seu quarto, no andar de cima, ele via sua equipe trabalhando. Quando a equipe acertava, ele olhava para janela e dizia: “Parabéns, vocês são incríveis!”, mas quando a equipe errava, ele olhava para o espelho e dizia: “O erro foi meu. Onde eu errei?”

O verdadeiro líder é aquele que, quando seu liderado acerta, parabeniza, celebra e dá a ele toda a responsabilidade por sua vitória. Quando ele erra, o abraça, diz que está tudo bem e toma para si a responsabilidade do erro.

Mas, será que quando nosso liderado erra a culpa é sempre nossa? Não, nem sempre! Talvez o erro seja do promotor que não fez a parte dele, não orou, ou não fez como deveria fazer, ou o brilho nos olhos era “fogo de palha”, ou não é vocacionado para isso. Talvez o trabalho de mobilização na igreja dele seja mais demorado, pois é “um a um” mesmo! Podem ser muitas as razões.

Mas, por que devemos sempre tomar para nós o erro de nossos liderados?

Porque um líder é responsável por todo sucesso e também por todas as falhas de sua equipe. Por isso, ele deve estar disposto, tanto para creditar o sucesso a eles, como para aceitar a culpa quando algo não vai bem. Se seus liderados o virem apontando o dedo e culpando outras pessoas, eles perderão o respeito por você. A lição disto tudo é aceitar o erro e aprender com ele!

Formar líderes é não ter medo de errar! Só assim formaremos líderes envisionados que transformarão nossa geração!

É melhor correr o risco de errar do que perder toda uma geração!

Silvana S. P. Martines

Compartilhe nas redes sociais:
2. Formar líderes é não ter medo de errar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *